Search
  • Manuela Paraíso

Os contras da Primavera


A Primavera não é só um mar de rosas. O amenizar da temperatura e os dias húmidos criam as condições perfeitas para o surgimento de visitas indesejáveis: os vírus causadores de doenças infecto-contagiosas que podem pôr em perigo a vida dos cachorros e cães, mas também as pulgas e as carraças, umas e outras eventuais portadoras de doenças que podem ser letais. Adicionalmente, as pulgas podem também causar problemas alérgicos, queda de pêlo e transmitir vermes intestinais. Todos eles surgem nos jardins, na rua, até nas nossas casas e podem tornar-se verdadeiras pragas, que devem ser prevenidas.

O controlo de pulgas e carraças deve começar fora de casa, no jardim, que deverá ser pulverizado com soluções naturais, com ingredientes como o vinagre de sidra (de preferência biológico) diluído em água (em partes iguais), pasta de alho fresco dissolvida em água bem quente (uma mistura que deverá repousar durante 24 horas antes de ser utilizada) e óleos essenciais (de eucalipto, hortelã, árvore do chá e citronela). Os cães e cachorros devem ser também protegidos com insecticidas naturais e biodegradáveis, que, ao contrário dos industriais, não têm efeitos tóxicos nos nossos amigos caninos. Estes podem ser pulverizados, diariamente, com a mesma mistura de vinagre de sidra e água. Pode-se também aplicar na pele e no pêlo óleo de Neem ou os já referidos óleos essenciais, que deverão ser diluídos em água. Outra alternativa eficaz para eliminar pulgas e carraças dos cães e do meio ambiente é um pó chamado diatomite ou terra diatomácea, somente de grau alimentar (existem outros graus mas não são adequados) e que se pode encomendar online. Este produto é também eficaz como desparasitante interno, não tendo contra-indicações. Uma alternativa para eliminar vermes intestinais é um pouco de alho misturado no alimento do cão - o que ajuda também a repelir moscas.

Quanto ao perigo de exposição aos vírus, os cachorros devem ser vacinados contra a parvovirose logo às 5 semanas e revacinados às 8 e às 12 - neste caso com vacinas de espectro mais abrangente, que incluam também a esgana, a leptospirose e a hepatite viral). Em caso de suspeita de exposição a vírus, deve aconselhar-se com o veterinário. Para uma prevenção mais eficaz, deverá consultar um veterinário holístico, que administrará ao cachorro nosódios - vacinas homeopáticas sem os possíveis efeitos secundários das vacinas convencionais, com as quais eles poderão ser conjugados para uma maior protecção. No caso de infecção viral, os nosódios podem e devem ser administrados, porque, ao contrário das vacinas industriais, são inócuos e eficazes como tratamento.

Mais conselhos, dicas e informação útil no livro Cuidar do Cão da Serra da Estrela.

#parasitas #vírus #desparasitantesnaturais #cachorros #CãodaSerradaEstrela

 

       Newsletter

 

       2015 Ponta da Pinta