Cão da Serra da Estrela

Ética
Ponta da Pinta
  • Os nossos reprodutores e os padreadores a que recorremos foram submetidos a rastreios de doenças hereditárias conhecidas na raça (displasia da anca, displasia do cotovelo, cardiomiopatia dilatada) e os acasalamentos são planeados com o objectivo de que os cachorros resultantes sejam saudáveis, equilibrados e típicos. Embora não possamos prometer que qualquer cachorro não virá nunca a desenvolver uma doença de origem genética, eles são vendidos com garantias de que, se isso vier a acontecer e essa doença for disfuncional, prejudicando a qualidade de vida do cão, ofereceremos um cachorro a título de compensação. Relativamente a cães adquiridos para criação, as garantias são extensivas a doenças hereditárias que tornem desaconselhável o uso do animal na reprodução. Em qualquer dos casos, deverão, para esse efeito, ser-nos enviados cópias dos exames efectuados, relatórios veterinários comprovativos e prova da esterilização do animal.

 

  • Não utilizamos na reprodução fêmeas com idade inferior a 2 anos e evitamos usar machos antes dessa idade (salvo excepções necessárias para a preservação de características importantes); normalmente, esperamos que atinjam os 3 ou 4 anos para terem a sua primeira ninhada; nessa altura, terão já amadurecido, além de que, caso sejam portadores de genes que possam originar uma doença hereditária, terão tido já mais tempo para que ela se manifeste; nessa eventualidade, se esta for grave, não serão utilizados como reprodutores.

 

  • Mesmo que já tenham tido antes uma ninhada, as cadelas parturientes estão carentes e sensíveis, precisando de apoio e assistência durante todo o trabalho de parto, não apenas para as tranquilizar mas também para agir de imediato em caso de necessidade (inércia uterina, posicionamento incorrecto dos cachorros, etc.). Por isso, as nossas ninhadas nascem dentro de casa, em condições adequadas de conforto e higiene e sob vigilância permanente durante os primeiros dias de vida (quando os cachorros estão mais vulneráveis e requerem atenção constante). Após a 5ª semana (altura em que recebem a sua primeira vacina, contra a parvovirose), eles transitam com a mãe para o parque vedado, sendo-lhes depois, progressivamente e sob supervisão, permitido brincar pela quinta.

  • Os nossos bebés iniciam a socialização bem cedo, logo aos primeiros dias, habituando-se a ouvir música, vozes e sons diversos (telefones, televisão, aspirador, máquinas de lavar, etc.), a receber visitas que os acarinham, a conviver com outras cadelas assim que a mãe permite que estas se aproximem dos filhotes.

 

  • Procuramos que cada uma das nossas cadelas reprodutoras tenha um máximo de 3 ninhadas – de modo a não sobrecarregá-las e a não produzir demasiados cachorros da mesma linhagem.

 

  • Não é qualquer pessoa que têm o perfil e as condições adequadas para ter um Cão da Serra da Estrela. Por isso, escolhemos os donos dos nossos cachorros. Qualquer pessoa residente em Portugal continental que pretenda adquirir um deles terá de se deslocar à Ponta da Pinta, para que nos possamos conhecer mutuamente e estabelecer uma base de confiança. À parte situações excepcionais, uma pessoa que não queira dispor de algumas horas para vir buscar um cachorro nosso deixa evidente que nos procurou por acaso e não porque aprecie o nosso programa de criação ou que não irá dedicar a um cachorro o tempo e a atenção de que ele precisa. Os únicos clientes para os quais nos dispomos a enviar um cachorro são das ilhas ou de outros países, que não tenham possibilidade de nos visitar – mas só o fazemos após nos certificarmos de que essas pessoas têm tudo o necessário para ter um cão criado por nós.

 

  • Os nossos cachorros são vendidos com pelo menos duas vacinas administradas pelo veterinário (a primeira às cinco semanas, a segunda às oito ou às nove), desparasitações regulares (quinzenalmente, a partir da segunda semana de vida) e com microchip registado em nome do comprador na base de dados do SIRA.  Além de obrigatória por lei, a colocação do chip  e seu registo constituem uma medida de segurança não só para o cachorro mas também para o dono e para nós, criadores, já que é ele que faz prova de propriedade e de origem, em caso de roubo ou fraude.

 

  • Não vendemos cachorros a lojas de animais ou a intermediários.

 

  • Não vendemos cachorros a pessoas que queiram utilizá-los para reprodução em larga escala.

 

  • Não vendemos cachorros a pessoas que pretendam fazê-los reproduzir com exemplares que considerarmos genética ou morfologicamente incompatíveis com aqueles.

 

  • Só vendemos para reprodução cachorros que consideremos de excelente qualidade geral. Antes de vendermos um cachorro, informamos o eventual comprador sobre os defeitos genéticos de que, segundo saibamos, ele possa ser portador.

 

  • Ao vendermos um cachorro, damos garantias relativamente à sua saúde e ao seu carácter e acompanhamos a sua evolução.

 

  • A solicitações de criadores, relativas a cachorros para reprodução, sobretudo no início de um programa de criação, prestamos aconselhamento criterioso e procuramos escolher o melhor cachorro possível.

 

  • Aos eventuais compradores, explicamos sempre quais as características da raça que poderão implicar alguma contrariedade e, caso notemos alguma reserva ou dúvida da sua parte, procuramos dissuadi-los da compra.

 

  • Poderemos escolher fazer uma ninhada de um exemplar com um defeito genético que não consideremos grave, se as características positivas desse exemplar pesarem mais na balança que o defeito. Nesse caso, informaremos os eventuais compradores dos cachorros dessa ninhada sobre o referido defeito e as probabilidades deles serem portadores ou afectados.

 

  • Os nossos cães são para nós tão importantes como o nosso programa de criação. A eles dedicamos muito do nosso tempo, energia e recursos materiais. Procuramos proporcionar-lhes uma vida feliz e saudável, em que se sintam acarinhados e mimados mas também úteis e activos. Se, após investirmos num deles para reprodução, viermos a considerar que ele não reúne as condições necessárias para ter ninhadas, mantemo-lo connosco como cão de companhia e guarda ou cedemo-lo, para desempenhar essas funções, a quem garantir proporcionar-lhe uma vida feliz e não o usar como reprodutor.

 

  • Os nossos cães vivem em liberdade, numa quintinha com cerca de 1 hectare, tendo imenso espaço para correr e brincar, e vários deles dormem dentro de casa. A felicidade deles é para nós uma prioridade, pelo que não os mantemos fechados em canis. Dispomos de boxes espaçosas e de um parque vedado com área de 120 metros quadrados, mas são usados somente em situações ocasionais (para ninhadas, cadelas em cio, exemplares em convalescença ou para acolher temporariamente outros Cães da Serra da Estrela, que foram abandonados ou estão para adopção).

 

  • Procuramos sempre vender o cachorro com o carácter e características mais adequados às expectativas do comprador, de modo a que este se sinta plenamente satisfeito e o cachorro tenha uma vida feliz.

 

  • Sempre que o dono dum cão por nós criado não possa continuar a mantê-lo, aceitamo-lo de volta e comprometemo-nos a encontrar novos donos que possam proporcionar-lhe uma vida feliz.

 

  • O nosso compromisso com o Cão da Serra da Estrela não se esgota nos nossos cães nem no nosso trabalho de criação: sempre que possível, acolhemos e/ou ajudamos a encontrar novos donos para exemplares da raça perdidos, abandonados ou a precisarem de ser resgatados.

Kalinka da Ponta da Pinta

 

       Newsletter

 

       2015 Ponta da Pinta